Notícias

posteNa Reunião Ordinária do dia 23 de agosto, o vereador Fabrício dos Santos Simoni apresentou ao Plenário a indicação nº 024/2011 que solicita ao Sr. Prefeito Municipal a revogação da lei que instituiu a taxa de iluminação pública no município de Cambuquira.
Segundo o vereador Fabrício, após a autorização da Câmara Municipal para o parcelamento da dívida com a Cemig, este vereador não vê a necessidade da cobrança da taxa, uma vez que muitos moradores da cidade reclamam que pagam a iluminação pública e não dispõem do mencionado serviço, principalmente as famílias mais carentes, onde o vereador espera que o Prefeito atenda aos anseios da comunidade.
Na foto o Vereador Fabrício junto ao poste sem luminária localizado à Av. Santos Dumont próximo ao nº 210, no Bairro Regina Coeli.

camaraGraças ao empenho do Prefeito e apoio da Câmara Municipal, hoje Cambuquira poderá seguir um rumo melhor, pode novamente almejar um futuro mais promissor, já que finalmente foi parcelada a dívida com a CEMIG.
 Esta dívida nasceu em administrações passadas, foi questionada na justiça, foram firmados alguns acordos os quais, não foram cumpridos.
 Não é necessário muito esforço para lembrar a época em que as ruas de Cambuquira eram mal iluminadas, das lâmpadas dos postes  emanavam pálidos raios de luz que mal chegavam ao chão. Foi necessária a troca de lâmpadas pela cidade toda por estas que hoje conhecemos mas, como todo benefício, este também teve um custo e, diga-se de passagem, bem alto, mas não tão alto se comparado ao custo-benefício, isto é ao ganho em segurança que pode ser agregado. Resultado disso foi um considerável aumento na  conta de iluminação pública.
 A taxa de iluminação pública foi instituída  justamente para  fazer frente a essa despesa, permitindo que se garantisse aos munícipes melhor qualidade de vida, com mais segurança.
 Cada lâmpada que se queima, ou é alvo de vandalismo, tem um custo que sai dos cofres públicos. Não há dia em que as lâmpadas possam ser apagadas para economizar na conta de energia, como acontece nas casas das pessoas. Com isso, as despesas continuam cada vez mais altas.
 É bem verdade que a dívida que acaba de ser negociada chegou a um patamar praticamente insustentável que chegou por falta de pagamento, por inadimplência e descaso de alguns prefeitos, mas ela está sendo paga. Além das despesas corriqueiras com a conta de energia, o Município ainda terá que despender mais esse valor.
 Neste momento, a taxa de iluminação pública é mais necessária do que nunca. É imprescindível que o Município conte com esse aporte para honrar essa dívida herdada, fruto de irresponsabilidade de outros, mas que, felizmente, não mais ocorre.
 É bem provável que alguns mal informados pensem: - será que não vão dar à taxa o mesmo destino que outros prefeitos?  – a resposta é clara: não! Desde 2009 a iluminação pública vem sendo paga em dia. A taxa vem sendo utilizada devida e legalmente.
 Outros podem alegar que agora que a dívida foi negociada, a taxa não mais será necessária.  Quando a essa alegação, de tão absurda, não há sequer necessidade de tecer comentários, afinal, o que houve foi o parcelamento de uma dívida e não a sua liquidação.
 Estamos trabalhando por Cambuquira, representando esse povo que nos elegeu. Afinal essa é a nossa função e não fazer demagogia.
Vereadores: Roginaldo da Costa Batista, Diogo Mendes de Castilho, Paulo César da Costa e Celso Alves da Silva.

A adubação consiste em fornecer à planta os nutrientes necessários ao seu desenvolvimento vegetativo, ou seja, crescimento de raízes, ramos folhas e ainda sustentar a produção de frutos. A quantidade de adubo a aplicar é a diferença entre o necessário pelo cafeeiro e a quantidade existente no solo, e é determinada pela análise de solos, feita anualmente. A análise de folhas, feita na época de maior exigência em nutrientes, é um recurso importante que deve ser utilizado em complementação à análise de solos para detectar e corrigir, em tempo hábil, possíveis deficiências nutricionais que podem aparecer no decorrer da estação chuvosa ou de crescimento.
 Macronutrientes – São aqueles exigidos em maior quantidade: Nitrogênio (N), Fosforo (P), Potássio (K), Cálcio (Ca), Magnésio (Mg) e Enxofre (S).
 Micronutrientes – São aqueles exigidos em menor quantidade, porém igualmente essenciais: Zinco (Zn), Boro (B), Cobre (Cu), Ferro (Fe) e Manganês (Mn).
 Parcelamentos de adubos
 Nitrogenados e Potássicos
 Set/Out – Vegetação e fixação 25 % da dose;
 Dez/Jan – Crescimento dos Frutos 45 % da dose;
 Fev/Mar – Granação e maturação 30 % da dose.
 Fosfatados (Superfosfato Simples): aplicar toda a dosagem de uma única vez, no início das chuvas.
 Tipo de adubos:
 Adubos simples: São adubos na sua forma pura ou original, também chamados elementos simples como Sulfato de amônio (que contém também Enxofre). Uréia, Superfosfato simples e Cloreto de Potássio.
 Adubos formulados: Os elementos simples quando misturados, dão origem aos adubos formulados como, por exemplo, 20-05-20, que contém 20% de Nitrogênio, 5% de Fósforo e 20% de Potássio (N-P-K). Os adubos formulados podem conter ainda, além dos macronutrientes, alguns micronutrientes em sua composição.
 Aplicação dos adubos:
Nitrogenados e potássicos aplicar a lanço a partir da saia para o tronco.
Fosfatados aplicar a 30 cm do tronco e a 5 cm de profundidade, em 2 ou mais pontos em torno da planta.
Eduardo Silva Moreira
Extensionista Agropecuário Emater

espao_002Na Reunião Ordinária do dia 09 de agosto, o vereador Diogo Mendes de Castilho apresentou ao Plenário a indicação nº 022/2011 que solicita ao Sr. Prefeito Municipal determinar ao setor competente que abra espaço para Bandas e Músicos locais  apresentarem seu trabalho, toda sexta-feira, no

corrego_01Conforme publicado na edição anterior do Informativo “Câmara em Ação”, matécorrego_02ria em que o vereador Roginaldo da Costa Batista fala sobre cessão de uma draga pela Codemig/Rural Minas para Cambuquira, a mesma já iniciou os trabalhos nos córregos do município.
Até o encerramento desta edição, a draga já estava terminando o córrego do Marimbeiro, conforme a foto. Logo após, a mesma irá realizar outros serviços nos córregos que cortam a cidade.

Home
Avenida Virgílio de Melo Franco, N° 471 || Cambuquira / Centro - Minas Gerais / Brasil || 37420-000
Mail camara@camaracambuquira.mg.gov.br Phone (35) 3251-1486 // 3251-2323
Fax

(35) 3251-1486 // 3251-2323