Palavra do Presidente

Eu tenho escutado muito por aí: “o Brasil não tem jeito mesmo”. Como assim não tem jeito? Tem gente que ainda não percebeu que uma sociedade sem esperança é uma sociedade morta.Olha, eu me recuso a acreditar que nosso país se resume à corrupção sistêmica, crise econômica e instabilidade política.Eu percebo o Brasil muito além das notícias sangrentas do Jornal Nacional.Meu coração não me permite acreditar, por mais que a mídia insista, que essa turbulência reflete a essência da nossa sociedade. A mim, ela não engana.Em meio ao caos, minha esperança se fortalece. Sou jovem, empreendedor, sonhador, e não só acredito em um novo Brasil, eu vejo um novo Brasil. Todos os dias.Eu enxergo o Brasil dos inquietos, inconformados, inovadores, protagonistas, transformadores, revolucionários, humanitários.Eu enxergo o Brasil dos empreendedores sociais que estão dedicando suas vidas para servir o país.Eu enxergo o Brasil dos voluntários que dedicam seu tempo para contribuir com a vida de quem mais precisa.Eu enxergo o Brasil dos consumidores conscientes que estão transformando seus hábitos de compra.Eu enxergo o Brasil dos empresários com propósito que pensam muito além do lucro.Eu enxergo o Brasil dos novos políticos que sonham verdadeiramente com um novo país.Eu enxergo o Brasil dos produtores orgânicos que contribuem arduamente para o meio ambiente.Eu enxergo o Brasil dos ativistas que lutam por suas causas com unhas e dentes.Eu enxergo o Brasil dos novos modelos educacionais que estão revolucionando a aprendizagem.Eu enxergo o Brasil dos novos hábitos alimentares.Eu enxergo o Brasil cada vez mais conectado com sua espiritualidade.Eu enxergo o Brasil da roda de samba, da hospitalidade, do carnaval e do futebol.Eu enxergo o Brasil dos sorrisos, abraços e correntes do bem.Eu enxergo o Brasil do futuro. Agora.Em contraste direto com as cenas desumanas dos canais televisivos, todos os dias eu vejo cenas reais de altruísmo, empatia e amor.Eu vejo o jovem ajudando a senhora a carregar as compras no mercado. Eu vejo o carro parando para a criança atravessar a rua. Eu vejo o executivo dando bom dia ao porteiro. Eu vejo a cordialidade do taxista abrindo a porta para a cliente entrar. Eu vejo a paixão do casal apreciando o pôr-do-sol na praia. Eu vejo gente brigando para ver quem vai adotar o cachorro primeiro.Todos os dias eu tenho mil razões para acreditar, enquanto o jornal me dá meia dúzia para me dizer que não tem jeito. O noticiário bem que tenta, mas não me convence. Eu acredito. A televisão me mostra casos ininterruptos de corrupção, e eu vejo casos ininterruptos de transformação. O jornal de domingo me dá motivos para abaixar a cabeça. Mas minha lente me mostra um milhão de motivos para mantê-la erguida.E assim, todos os dias eu me reconecto com minha esperança, e relembro que este movimento de transformação é maior do que qualquer notícia devastadora. É por essa lente que eu enxergo o Brasil. A lente da esperança.Ah, Brasil, chegou a hora de transformar sua indignação em poder de ação. Povo heróico, eu te pergunto: e se tua revolta fosse semente de uma transformação? Vejo a força da tua alma, que transcende cada reclamação. Sinto que chegou a hora de usufruir dos poderes dessa pátria amada, para revolucionar nossa nação.Há quem diga que é preciso enxergar o caos para poder vencê-lo. Eu enxergo o caos. Mas eu preciso dizer que a luz da esperança o ofusca. Iluminado ao sol do novo mundo. Um sonho intenso. Um raio vívido.Afinal, o Brasil tem jeito sim. E a transformação já está acontecendo. Bem na sua frente. Bem do seu lado.Mas acredite primeiro, você precisa enxergar ela dentro de você.E você, por qual lente você enxerga o Brasil? Faça sua escolha.Paulo César Lemes - Presidente

O começo de um novo ciclo sempre vem recheado de expectativas. Para o brasileiro, que sofreu bastante nos últimos anos, a esperança de tempos melhores não é à toa, ela tem base concreta, e em indicadores positivos. Mas o panorama geral acena que a melhora na atividade econômica virá acompanhada de turbulências típicas de um ano eleitoral.A cada ano eleitoral espera-se por algo melhor. Espera-se que as deficiências atuais sejam corrigidas, que as condições básicas para se viver estejam com qualidades compatíveis aos inúmeros impostos, e que o direito de ir e vir se torne, de fato, um direito de liberdade, com condições de mobilidade, acessibilidade e segurança. Neste período eletivo, observaremos nos noticiários, articulações e comentários políticos sobre alianças, sobre apoios diversos, sobre filiações, sobre o que foi feito, e ainda sobre o que poderá ser feito, acendendo no fundo a nossa esperança. Por outro lado, os eleitores atentos estão observando o movimento eleitoral, e para a maioria, se acende no íntimo uma profunda esperança de mudança no infinito de possibilidades, idéias, projetos e propostas a se realizar. Mesmo observando um país preso em uma areia movediça de corrupção e desrespeito ao povo e alguns políticos tendenciosos, a esperança e os sonhos do eleitor por um dia melhor se tornam um combustível para ações e estratégias para se aproveitar. Observamos que as condutas da maioria dos políticos estão desestimulantes, sendo oportunistas, interesseiros, ardilosos e famintos de poder, além de muitos deles, sem o mínimo perfil de gestor, com uma falta de ação e participação quase inexistente, enquanto as pessoas estão sofrendo em filas dos serviços básicos de saúde, sendo massacradas em um sistema de transporte arcaico e desumano. Isso vem massacrando os sonhos e as esperanças da nossa vida. É o momento de todos, sem exceção, repensarmos sobre as nossas condutas para não nos iludirmos e nem deixar de fazer algo pelo próximo, na esperança de um dia melhor, e por que não, de um político melhor, já que meu erro influenciará a todos. E esperar que os políticos não tratem a vitória nas urnas como uma contemplação lotérica, e que tragam sempre em mente que o pleito eletivo traz mais responsabilidade com a vida humana do que com poder e autoridade, e o que ficará é o seu legado. Inicia-se o momento de reflexão, crítica e esperança de dias melhores. Um momento de análise do interesse e do bem comum. E tudo isso só depende de nós, através de uma boa escolha que envolva pesquisa da capacidade do candidato, com especial atenção ao que foi feito por ele no passado, pois o histórico político ou não pode ser crucial para sua decisão, principalmente para aquele que nunca fez nada e sem capacidade. É o momento de análise, pois devemos fazer boas escolhas agora, ou continuar vivendo apenas na esperança de dias melhores.*=*=*=*=*=*Dia 8 de março, próximo passado, comemorou-se o Dia Internacional da Mãe, esposa, avós, filhas, tias, primas, amigas. Somos cercados de mulheres em nossas vidas. Fortes, guerreiras, independentes, responsáveis, doces, amorosas e zelosas, elas conseguem ser isso tudo e ainda mais! Muitas vezes, na correria do dia a dia, esquecemos de reconhecer a verdadeira essência que existe nelas, que sabem com toda a sabedoria dominarem papéis diversos – e conseguem administrá-los com maestria."Eu sou aquela mulher que fez a escalada da montanha da vida removendo pedras e plantando flores." (Cora Coralina)Parabéns a todas as mulheres!Paulo César lemes - Presidente

Home
Avenida Virgílio de Melo Franco, N° 471 || Cambuquira / Centro - Minas Gerais / Brasil || 37420-000
Mail camara@camaracambuquira.mg.gov.br Phone (35) 3251-1486 // 3251-2323
Fax

(35) 3251-1486 // 3251-2323